Veja quais remédios não devem ser usados em casos de suspeita de dengue.

Compartilhar
Nenhum Comentário Por Agência Visual News, 15 de abril de 2017

medicamentos-6

Não à toa, alguns comerciais de remédios são acompanhados por um alerta: ‘este medicamento é contra-indicado em casos de suspeita de dengue’. Isso porque, mesmo sabendo que a automedicação é um dos fatores que podem agravar as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, muitas pessoas ainda resistem a procurar um médico ao sinal dos primeiros sintomas.

Os remédios que contêm dipirona, por exemplo, só devem ser utilizados após prescrição médica, pois podem diminuir a pressão ou causar manchas de pele. Segundo o médico e comentarista de saúde Luis Fernando Correia, determinadas substâncias podem ter o efeito contrário do esperado:

- Remédios como alguns anti-gripais e a conhecida aspirina podem afetar a coagulação e aumentar o risco de sangramento em casos com desdobramento hemorrágico. Os anti-inflamatórios também não devem ser utilizados pelo risco de efeitos colaterais, como hemorragia digestiva e reações alérgicas.

Até mesmo medicamentos à base de paracetamol, os mais usados para tratar a dor e a febre em casos de dengue, devem ser tomados rigorosamente nas doses e intervalos prescritos pelo médico. Caso seja ingerida uma dose muito alta, o paciente corre o risco de contrair uma lesão hepática.

- Todas as doenças transmitidas pelo Aedes têm grau de periculosidade elevado. É importante que se procure imediatamente um atendimento especializado para acabar com qualquer dúvida em relação aos medicamentos que devem ser tomados – explica o médico, referindo-se à dengue, zika, chickungunya e febre amarela.



Deixe um comentário