Último adeus emoção marcaram o cortejo de Aldo em Simões Filho

Compartilhar
Nenhum Comentário Por Agência Visual News, 9 de abril de 2017

BeFunky-Collage-68.jpg-701x350

Foi com muita emoção, aplausos, palavras de admiração e carinho de amigos e parentes que o corpo do comerciante Adroaldo Souza Santos, 42 anos, conhecido popularmente como “Aldo” foi sepultado. A população acompanhou emocionada o cortejo que levava o corpo do comerciante, que foi baleado na cabeça enquanto trabalhava no dia 20 de janeiro deste ano na praça Noemia Meireles Ramos, centro de Simões Filho (RMS). O sepultamento de Aldo estava programado para acontecer na tarde desta sexta-feira (07), mas por conta de um erro do Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IML), o corpo não foi liberado.

O velório do comerciante ocorreu na tarde deste sábado (08), após o corpo dele chegar a residencia localizada na Rua Doutora Delma Gama, que fica atras da Igreja Universal do Reino de Deus do Bairro KM 25. O caixão partiu por volta das 13h00 em um veículo e seguiu até o cemitério São Miguel de Cotegipe, onde foi realizado o sepultamento.

Sob sol forte e ao som de músicas evangélicas, um cortejo foi formado. Durante o trajeto de 3 quilômetros, que partiu do bairro KM 25, passou pelo Mercado Municipal e Praça da Bíblia. Diversas pessoas seguiam o cortejo entoando canções e orações. Os dois filhos de Aldo, Suzane, 10 anos e Felipe 13 anos, seguravam um cartaz com a frase: “Não existe partida para aqueles que permanecerão eternamente em nossos corações”.

Ao chegar na Praça da Bandeira, local onde ele trabalhou por 20 anos vendendo Caldo de Cana e lanches, foram prestadas diversas homenagens – um momento de muita emoção para todos que presenciaram a cerimonia. Muitos aplaudiam, outros estavam visivelmente com os olhos marejados. De lá, o cortejo seguiu pela Avenida Rui Barbosa, passou em frente a prefeitura da cidade e chegou ao Bairro Ponto Parada, onde fica o cemitério, muitas pessoas eram vistas às margens de ruas e avenidas para ver o cortejo.

No trânsito e nos pontos de ônibus, as pessoas também identificaram que se tratava do cortejo de Aldo e bateram palmas. Foi possível perceber que quem estava trabalhando fez questão de parar o serviço em respeito ao comerciante

.O cortejo chegou ao cemitério por volta das 14h30. O enterro ocorreu minutos depois, sob clima de muita emoção e também sob aplausos. Familiares e amigos falaram algumas palavras antes do sepultamento, que demostravam o carinho que os familiares tem por Aldo.

Sobre Aldo

Adroaldo Souza Santos, 42 anos, era muito querido pela população de Simões Filho. Era conhecido com Aldo do Caldo de Cana – isso porque ele comercializava o produto há mais de 20 anos na Praça da Bandeira. Aldo era morador da Avenida Paulo Souto. O comerciante era casado e deixa dois filhos – a menina Suzane, 10 anos e o adolescente Felipe, 13 anos.

Revolta

A morte de Aldo, trouxe comoção, dor, tristeza, mas também, um sentimento de revolta em toda a cidade. Nos últimos meses a população vive a sensação de insegurança. A estatística confirma que é preciso ter um olhar diferente para município. Moradores questionam até  quando a violência vai destruir famílias em Simões Filho? Quantas pessoas pessoas inocentes precisam morrer para que as autoridades tomem as devidas providencias?

O crime

No dia 20 de janeiro deste ano, Aldo foi baleado na cabeça durante tentativa de assalto, quando estava em seu local de trabalho – uma barraca de caldo de cana, na Praça da Bandeira, no centro de Simões Filho.

Naquela oportunidade, o sobrinho da vítima, Lucas Lima, 21 anos, contou ao Simões Filho Online, que Aldo estava trabalhando dentro de seu próprio estabelecimento comercial – uma barraca que vende lanches e caldo de cana – localizada na  Praça da Bandeira, região central da cidade. Segundo ele, o ‘Tio’ acabou sendo surpreendido por dois homens armados. Aldo estava na companhia de um outro sobrinho, identificado como Keven, proprietário da motocicleta cobiçada pelos criminosos. “Os bandidos pediram a moto de Keven. Quando meu tio viu, disse ao bandido que se ele roubasse a moto iria segui-lo com um mototáxi. O bandido então disparou a primeira vez – meu Tio jogou a cadeira e um cone no assaltante e nesse momento, o bandido atirou mais duas vezes, acertando ele”, contou.

Três disparos foram efetuados por um dos assaltantes, mas apenas um tiro acertou o comerciante. Aldo foi baleado na cabeça –o projétil entrou atrás e saiu acima do olho esquerdo. Após os tiros, os bandidos fugiram sem deixar pistas. O comerciante foi socorrido por populares para o Hospital de Simões Filho, onde recebeu os primeiros cuidados médicos, mas, devido a gravidade do ferimento, o vendedor foi transferido para o Hospital Geral do Estado (HGE), em Salvador. Na ocasião, ele teve quatro parada cardiorrespiratória a caminho do hospital.

simoesfilhoonline


Deixe um comentário